Perseguição: A Prova Final

Permissão para reproduzir é concedida em sua integridade.

Em torno de 111 d.C., nos dias de Plínio o Moço (62-113 d.C.) e do Imperador Trajano, os primeiros cristãos foram sujeitos ao teste final de fidelidade ao Senhor Jesus Cristo – adorar a estátua do imperador e as imagens dos deuses pagãos ou serem executados.  Como governador do Norte da Ásia Menor, Plínio o Moço escreveu a Trajano:


Por enquanto eu tomei a seguinte conduta quanto àqueles que foram acusados diante de mim como cristãos: Eu perguntei se eles eram cristãos.  Aqueles que confessaram eu perguntei uma segunda e uma terceira vez, ameaçando-os de punição.  Aqueles que persistiram eu ordenei que fossem levados à execução.  Porque eu não tive dúvidas disso, o que quer que fosse isso eles admitiram; obstinação e perversidade irredutíveis certamente merecem ser punidas ...  Outros que foram delatados por um informante disseram que haviam sido cristãos, e depois mais tarde renegaram isso, dizendo, além disso, que haviam sido, mas cessaram de ser cristão, alguns há três anos atrás, alguns há muitos anos e um mesmo há vinte anos atrás.  Todos estes inclusive não apenas adoraram nossa estátua e as imagens dos deuses, mas também amaldiçoaram a Cristo.  (A Treasury of Early Christianity, editada por Anne Fremantle, Nova Iorque: Viking Press, 1953, pp. 253, 254).


Alguém pode se perguntar como deve ter sido estar na pele daqueles cristãos que estiveram diante de Plínio o Moço, sabendo que a prova final havia chegado.  Apesar de que nunca possamos saber esta prova em particular, os cristão irão um dia enfrentar uma situação similar, se formos a última geração que estiver viva quando o anticristo tiver poder sobre toda a terra (Apo 13:7).  Todas as pessoas nesse tempo, inclusive os cristãos serão forçados a adorar a imagem do anticristo e/ou receber a sua marca a fim de poder comprar ou vender.  Recusar-se a isso significará execução ou ser levado cativo (Apo 13:15, 13:9;10, 20:4).


Renunciar a fé devido à perseguição é se colocar na categoria dos medrosos (Apo 21:8), de acordo com A.T. Robertson:


Existem oito termos aqui usados que se aplicam as várias seções desta lúgubre lista dos perdidos e amaldiçoados, todos no dativo (em caso de interesse pessoal).  Os medrosos, ou covardes, aqueles que se retratam debaixo de perseguição, no N.T. somente aqui, Mateus 8:26, Marcos 4:40.  (A. T. Robertson, Word Pictures in the New Testament, Vol. VI, Grand Rapids, MI: Baker Book House, 1933, p. 469, italics his).


Adorar a imagem do anticristo e receber a marca da besta significará a perda da salvação para um cristão (Apo 14:9-12).  Se formos esta geração, as seguintes passagens das escrituras são importantes para a nossa precaução:


E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte.  (Apo 12:11)


E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.  (Mt 10:28)


 


Retorne à Página Principal
www.evangelicaloutreach.org/
Endereço: P.O. Box 265, Washington, PA, 15301-0265, USA

mailbox